Concurso SEE MG 2014 – Inscrição e vagas



Apesar de aprovado e confirmado, o concurso SEE MG 2014 ainda não teve suas principais informações divulgadas. O edital deverá ser divulgado até o fim do mês de Junho, onde publicarão o número de vagas, áreas e cargos ofertados, bem como cidades contempladas.

O concurso da Secretaria Estadual de Educação de Minas Gerais – SEE-MG – visa aumentar o quadro – atualmente de 220 mil funcionários -, principalmente para suprir carência na área de educação, com mais professor, merendeira e coordenador pedagógico.

A inscrição do concurso SEE MG 2014 deverá estar aberta à partir de julho, com provas previstas para o fim de agosto.

Edital SEE MG

Reservaremos este espaço para publicação do edital do concurso da secretaria estadual de educação.

Data e local das provas

Previstas para o mês de agosto, deverão conter as matérias de português, história e geografia, com cerca de 40 a 60 questões, que também envolvem conhecimentos gerais e específicos.

Para cargos como professor e coordenador pedagógico talvez seja necessária segunda etapa para verificação de títulos.

Revenda roupas

80 thoughts on “Concurso SEE MG 2014 – Inscrição e vagas

  1. Clélison, concordo plenemente com você. O nosso governo criou a LC 100 e os professores que foram beneficiados sabem a história da criação da mesma.Para os críticos,se os professores estavam atuando durante a efetivação,são competentes porque estavam trabalhando.Se não fosse a competência de cada um estavam aguardando vagas.Parabéns Governador!!!!!!!

  2. Eu queria que viesse mais uma lei 100.Sortudos quem efetivou.Não teve nem um sacrifício, pois as vagas do concurso da SEE MG, não vão dar nem para o começo, são muito poucas.Cadê as vagas?Ficaram para os efetivados?Foi mais um golpe do Aécio para ganhar de novo e agora solta as migalhas de vagas para o povão se lascarem,não é culpa deles, afinal vai sair o concurso.

    1. Sortudo são os políticos que em nome do povo efetiva: concursados fora das vagas citadas, porque não iam os número corretos e ninguém consegue destituí-los de seus cargos por cometerem “crimes” contra a sociedade. Porque veja: passei no concurso, estava esperando a efetivação, mas fui efetivada numa lei denominada 100 (sem direitos até de questionar), se sou universitária, com duas pós- graduação, trabalho muito mais que muitos efetivos, porque minhas licenças são somente por doença, e não tenho respeito nem de meus colegas de classe. Que caia mesmo a lei. Porque tenho certeza que vou continuar trabalhando, porque licenças não hão de faltar. RESPEITO CLASSE! O erro não foi nosso.

    2. Não acho que seja questão de desunião ou inveja que nós, EFETIVOS LEGAIS,temos em relação aos colegas que se beneficiam da lei indecente e eleitoreira de um governo demagogo e manipulador é simplesmente uma questão de Justiça e Direito. Vou acionar a justiça e acho que todos educadores (efetivos,efetivados e designados) tem um compromisso MORAL com relação as arbitrariedades cometidas pelo governo de Minas. Sempre fomos desreispeitados e usurpados dos nossos direitos. Por que ele não inventa uma lei 100 para a Polícia Civil, para os cargos do Tribunal de Justiça?! Vocês já sabem a resposta: porque nós, da Educação, é que somos o capacho. Mas ainda acredito que isso ainda pode mudar.

  3. Acho que não vale a pena ficarmos discutindo que é concursado ou efetivado , nossa classe não pode se desfragmentar assim, afinal, um não está prejudicando o outro, estamos todos na mesma situação, há espaço pra todos, temos que nos unir para alcançarmos nossos objetivos e valorização da nossa classe. Concursado ou efetivado, o que importa é lutarmos pelo mesmo ideal.

  4. Me tirem uma dúvida por favor. Quem não tem tempo em cargos públicos (só em particular) pode assumir o cargo após prestar um concurso? Me falaram que neste concurso que está para ser confirmado, é necessário ter tempo em escola estadual. Eu tenho 10 anos de experiencia como gestora em escolas particulares…
    Muito obrigada!

    1. Sofia, pelo meu conhecimento um concurso público não pode exigir experiência o que pode ser feito é ter provas de títulos, ou seja ter pontos dependendo do tempo de serviço público. E nesse caso a experiência em escola particular não vale. Quem não tem tempo como eu e você tem que estudar em dobro.

  5. Quem sabe agora diante de tantas discussões sobre os rumos da educação algumas medidas positivas sejam tomadas, bem como, a melhoria do salário da classe, a abertura de concursos públicos, promoção da formação continuada dos que trabalham com educação, estrutura física adequada, merenda de qualidade,sistematição e qualidade efetiva no ensindo das crianças e dos jovens, incentivo a leitura, currículos pertinentes e funcionais…

    É preciso que algumas medidas realmente sejam tomadas imediatamente para garantir a perpetuação da “espécie” professor, caso contrário esta será extinta!

  6. QUERO SER CONCURSADA, E PARAR DE SER PISADA!
    SOU CAPAZ , E QUERO E VOU CONSEGUIR A MINHA ESTABILIDADE PROFISSIONAL.
    APROVA , E LIBERA ESSE EDITAL , E VAMOS ESTUDAR MINHA GENTE!

  7. gosto de fazer concurso, não sei porque este governo vem com esta bobagem de efetivar e não faz concurso. E tão bom estudar, fazer prova e ser aprovado. Acredito que isso deveria ser a vontade de todos que um dia sonha em ser um educador. Bem isso è dar exemplo, não è?

    1. Bem, o que eu vejo hoje na escola pública é professor concursado, cansado, parado no tempo e na grande maioria os efetivado e ate os designados estão dando um show nos mais antigos.

      Essa é a pior classe trabalhadora que já vi, olhem para voces verem os comentarios, um querendo furar o olho do outro. Como ratos, brigando por migalhas.

  8. É uma vergonha,os efetivados nao fazer a prova, nao acredito mesmo, eles sabe que nao passa nem debaixo da porta,,eles também terao que fazer sim…….cade a constituição, nao vale de nada!!!

  9. o governo de minas desrespeita a constituição de uma forma tão abusiva que começo a desacreditar de vez na justiça deste país. Onde está o Ministério Público que não toma nenhuma providência? Passa por cima dos nossos direitos e acha isso normal.
    Só uma perguntinha: Por que os efetivados têm tanto medo de concurso???

    1. Sei lá,

      Eu tenho medo de cobra, minha mãe de escorpião,
      meu pai de aranha.
      Os efetivados de concurso,
      Os concursados de trabalho…
      E daí…

      1. É uma grande bobagem ficar discutindo, o que faz um profissional é sua ética e competência. A efetivação é inconstitucional, Aécio conseguiu legalizar, mas não acredito que volte a acontecer. A lei é o que Carlos apresentou abaixo, e que se faça valer a lei.

  10. Para quem não conhece a Lei 8.112.
    Lei número 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Título II, capítulo I, seção II, artigo 10:
    Art. 10. A nomeação para cargo de carreira ou cargo isolado de provimento efetivo depende de prévia habilitação em concurso público de provas ou de provas e títulos, obedecidos a ordem de classificação e o prazo de sua validade.
    Lei número 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Título II, capítulo I, seção III, artigo 11:
    Art. 11. O concurso será de provas ou de provas e títulos, podendo ser realizado em duas etapas, conforme dispuserem a lei e o regulamento do respectivo plano de carreira, condicionada a inscrição do candidato ao pagamento do valor fixado no edital, quando indispensável ao seu custeio, e ressalvadas as hipóteses de isenção nele expressamente previstas.(Redação dada pela Lei nº 9.527, de 10.12.97) (Regulamento)
    Lei número 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Título II, capítulo I, seção IV, artigo 20:
    Art. 20. Ao entrar em exercício, o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo ficará sujeito a estágio probatório por período de 24 (vinte e quatro) meses, durante o qual a sua aptidão e capacidade serão objeto de avaliação para o desempenho do cargo, observados os seguinte fatores: (vide EMC nº 19)
    I – assiduidade;
    II – disciplina;
    III – capacidade de iniciativa;
    IV – produtividade;
    V – responsabilidade.
    Emenda constitucional número 19, de 04 de junho de 1998
    Art. 3º O caput, os incisos I, II, V, VII, X, XI, XIII, XIV, XV, XVI, XVII e XIX e o § 3º do art. 37 da Constituição Federal passam a vigorar com a seguinte redação, acrescendo-se ao artigo os §§ 7º a 9º:
    “Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte:
    I – os cargos, empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei, assim como aos estrangeiros, na forma da lei;
    II – a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração; […].”

  11. Estou indignado!
    A Lei 100 contraria a Lei número 8.112, de 11 de dezembro de 1990 e a emenda constitucional número 19, de 04 de junho de 1998. O tal edital não sai e não dá mais para aceitar as mentiras da comunicação do governo de Minas acerca do concurso da SEEMG 2010, 2011, 2012 ou será dois mil e nunca.

  12. Vládia, por favor, não generalize! Sou professor e tenho muitos colegas competentes. O concurso público é fundamental para corrigir este grave problema, e sobretuto selecionar os bons profissionais. E uma dica: Cuidado com a concordância, OK? E VIVA O PROCESSO DEMOCRÁTICO DO CONCURSO PÚBLICO!!!

  13. Musa,
    Concurso fraudolento? Nunca ouvi falar… cada vez mais eu sei pq o governador aprovou essa Lei 100. Nossos professores não sabem nem escrever direito, quanto mais passar em um concurso. E ainda por cima, pensa que abaixo do Equador vale tudo.E VIVA A LEI 100!!!!

    1. Bem, é o que o salário do estado dá pra bancar.

      Estes que não sabem nem escrever devem ter sido alunos de algum professor concursado no passado!

  14. Secretária de educação, não se esqueça do que sua antecessora prometeu e que até agora o governo Anastasia não cumpriu:

    “CLÁUSULA QUARTA – REALIZAÇÃO DE CONCURSO PÚBLICO

    4.1 A publicação dos editais para realização de concursos públicos para provimento de cargos da SEE ocorrerá até o final do mês de julho de 2010.”

    Exigimos pelo menos uma satisfação, já que que estamos esperando há meses e nenhum retorno nos foi dado. Se tal promessa não pode ser cumprida, pelo menos faça um pedido de desculpas em nome do Estado. Não queremos esmolas, queremos trabalho, dentro da lei, de acordo com o que prevê a constituição. E lembre-se: se a greve de 2010 foi considerada “irregular”, o que o Estado tem feito com os professores nos últimos anos é pior, é DESUMANO!!

  15. ESTAMOS PERCEBENDO QUE OS ANÚNCIOS DE UM NOVO CONCURSO DA SEEMG FOI UMA BOA ESTRATÉGIA DE MARQUETING PARA GANHAR A ELEIÇÃO PARA GOVERNADOR, E FUNCIONOU. LEMBRAMOS QUE AINDA ESPERAMOS QUE AS PROMESSAS SEJAM CUMPRIDAS COMPROVANDO A “ÉTICA E RESPONSABILIDADE” DO GOVERNADOR ELEITO.

  16. Jannaina, concordo com você quando diz que não se deve ter vergonha de ter sido efetivada pela lei 100. Porém, quando você fala em Direito comete um equívoco: Essa lei é claramente anticonstitucional e portanto não podemos nos manter de forma irregular no serviço público. Devemos sim, é nos mobilizarmos para que o nosso “ilustríssimo” governador cumpra o que prometeu: Concurso público imediatamente e sobretudo melhores condições de trabalho para a nossa categoria. Abraços

  17. WIL ,em primeiro lugar gostaria de ressaltar WIL que nós fomos efetivados não foi por vontade humana mas sim por vontade de DEUS portanto,nã o é vergonha estar ocupando um cargo que é por direito nosso.Vergonha é matar,desejar mal para os outros,roubar etc.Nós não fizemos concurso porque ainda não saiu edital com certeza quando houver ,nós faremos e passaremos em nome de JESUS.Aprenda orar para receber o que desejas,pois assim estarás edificando a sua vida.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>